Gozei Gostoso Dentro Da Japonesa Mais Não Parei De Meter

Gozei Gostoso Dentro Da Japonesa Mais Não Parei De Meter

Gozei Gostoso Dentro Da Japonesa Mais Não Parei De Meter

hummmmm…gostoso…estou adorando meter nesse seu rabinho gostoso ahhhhhhhhhhh…. Entreguei no banheiro e me deparei com um paraiso, uma banheira enorme, dois chuveiros.

Eu estava no primeiro semestre e ela fazia dp comigo, de duas matérias, então nós víamos praticamente uns 3 dias da semana, sempre tive muita vontade de fazer amizade com a Lorena, mas me faltava coragem, até que um dia eu pedi para fazer uma prova em dupla com ela, e ela aceitou, ficamos amigas e trocávamos muitas mensagens no WhatsApp, infelizmente ela era hetero, mas felizmente era uma hetero curiosa, um dia no WhatsApp entramos no assunto de opção sexual, eu disse que era homossexual e ela disse que era hetero mas tinha vontade de experimentar, o que me deu a liberdade de dizer “Lorena, eu te acho linda, seria uma honra se voce aceitasse sair comigo não só como amigas” e para minha surpresa ela aceitou, combinei de leva-la a um pub na Augusta, comemos e nos divertimos, até que no final da noite nos beijamos, foi ardente, foi intenso e com muita vontade de ambas as partes, naquele ponto eu já estava super excitada então perguntei para ela se ela gostaria de ir a um motel comigo, ela aceitou, chegamos já arrasando, parecia que Lorena foi prepara para transar comigo, sua lingerie era impecável, ela começou beijando meu pescoço e eu acariciando seus seios, ela gemia muito como se nunca tivesse tido tanto prazer, a joguei na cama e desci até chegar em sua vagina, chutei como se não houvesse amanhã e ela gozou muito em minha boca, e ela sem descansar me virou e me comeu de quatro, ela metia sem dó 2 dedos, 3 dedos, 4 dedos, metia rápido e com força, não aguentei, gozei na mão dela, nunca senti tanta tesao assim, meu grelo nunca latejou tanto, que mulher, eu e Lorena ainda transamos casualmente, conto outras transas deliciosas que tivemos nos próximos contos.

Eu que me auto denomino o Poeta de Ilusões mantinha um relacionamento a distancia com a Ane, eu morava em São Paulo e ela em Maringá, uma japonesa de família tradicional e muito tímida no meio social, quem a via jurava que ela era uma santa de tão calada e tímida que era, mas o velho ditado diz e ensina as mulheres, sejes dama na rua e puta na cama…acho que era o que ela pensava!!!Ela chupava a todos e pedia que a fodessem inteira…. SEU COMPANHEIRO PASSA A BEIJÁ-LA E EU APERTO SEU PEITO FARTO RETRIBUINDO O CARINHO RECEBIDO…ELA GOZA GEMENDO ALTO, MAS LOGO SE AFASTA E COLOCA O PAU DELE NA MINHA BOCA, QUE PASSA A CHUPÁ-LO ATÉ QUE TRÊS ORGASMOS EXPLODEM EM UNÍSSONO! O QUE ESTÁ DENTRO DE MIM SAI E SE ENROSCA COM O CASAL E EU ME AFASTO PARA DESCANSAR UM POUCO, ENCOSTADA NA PAREDE.

Continuavamos engatados, meu pau todo dentro de sua buceta, e minha mão ainda em sua boca, sentia sua respiração forte pelo nariz, a safada começou a rebolar em meu pau, eu já não aguentava, ainda com a mão tapando sua boca, tirei o braço que a envolvia pela barriga e a segurei pela bunda, forçando um movimento para cima e depois para baixo, reiniciando uma vai e vem, e rapidamente, estava cavalgando ainda mais gostoso e rápido que da ultima vez, seus gemidos abafados pela minha mão.